O NOVO ESTAVA EM MIM

Antigamente eu achava que abrir espaço para o novo era desapegar e ir para a próxima. Agora eu sei que deixar o novo entrar é romper o ciclo, quebrar um padrão de anos, parar de fazer a mesma coisa, pensar … Continuar lendo

“Penso que cumprir a vida seja simplesmente Compreender a marcha e ir tocando em frente…”

Entrei na correnteza e deixei as coisas fluírem.

Cansei de me esforçar nadando contra.

Abri mão do controle.

Embora, as vezes, caio na armadilha de tentar controlar isso ou aquilo.

Mas passa.

Decidi ser mais paciente.

Mais flexível.

Menos resistente.

Não mudei da água para o vinho.

Porém questionei muita coisa.

Questionei pensamentos, crenças, atitudes, carência.

Olhei para mim.

Não para a Andreia refletida em um espelho.

Olhei para dentro mesmo.

Fechei os olhos.

Registrei e interpretei os meus sonhos.

Parei de temer meus pesadelos.

Abracei qualidades que podem ser julgadas como duvidosas.

Abandonei pré-conceitos.

Me permiti.

Me abri.

Para a vida.

Para o amor.

Para as coisas acontecendo do jeito que tem que acontecer.

Na hora em que tem que acontecer.

Meus problemas desapareceram?

Não.

Mas mudaram.

Se transformaram.

Agora os nomeio como desafios.

O que antes era uma barreira, agora é motivação para pular mais alto.

Tenho dias muito bons.

E dias terríveis.

Mas está tudo bem.

Parei de me crucificar.

Até me julgo de vez em quando.

Me pego com crise de ansiedade, com medo.

Só que eu não fico parada diante dessas adversidades.

Eu olho para elas e as escuto.

Relaxo.

E passa.

O peito acalma.

A vida tem sido um rio interessante.

Tô meio que aproveitando a aventura, curtindo o caminho das águas, desviando de algumas pedras.

Me adaptando.

Curtindo a paisagem que passa apressada.

Deixando a vida fluir.

O rio da vida está me guiando e com ele a minha fé em mim.

“Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz…”