O tal do valor

Já reparou como é difícil valorizar algo sem valor?  Ta essa primeira foi fácil, então, já reparou como é difícil dar valor a alguém que não tem ciência do quanto vale, ou pior, não quer acreditar? Sim, a missão parece impossível, parece e é.

Não adianta, não entra na minha cabeça como uma pessoa com tantos potenciais e com tantas pessoas ao redor dela reconhecendo-os, pode se achar inferior e não acreditar o quanto é importante e essencial para alguém.

A baixa auto-estima é uma porta aberta para a incapacidade pessoal, pois uma pessoa insatisfeita consigo não consegue produzir bons pensamentos, que vão emanar boas energias e por conseqüência fazer as coisas darem certo.

É impossível valorizar alguém assim, pois esse alguém é incapaz de perceber. Essa pessoa quer se auto-afirmar através de vários viés, e o que acontece? Tem vibrações superficiais que nem ela se convence desse pseudo-valor. Quem esta perto e acredita acaba de decepcionando e acreditando que talvez não exista realmente esse valor percebido.

Solução? Bom aquela velha e de praxe para a maioria dos problemas mundiais, sair do mundinho criado na própria cabeça e enxergar a si mesmo como uma coisa boa, acreditando que somos capazes de melhorar e conseqüentemente evoluir a todo instante.

 As vezes precisamos ouvir o que as pessoas falam, e mesmo tendo que filtrar as informações, é de extrema importância dar valor a elas.

 Andréia Homem 22:20 07/02/2010

Anúncios

Batimentos acelerados

Têm sentimentos que são tão fortes que temos medo de sentí-los.

Eles causam um alvoroço e uma paz inexplicável.

É de uma parceria e de um egoísmo incrível.

Rola uma paixão e um fogo de arrepiar.

Rola um amor e um desejo pela felicidade do outro, mais do que pela nossa.

Têm um respeito e uma pegada de dar inveja.

Têm carinho e amizade, Têm erros e eventuais discussões.

Têm sentimentos que não sabemos a palavra que os define.

Pode ser uma química do olhar, da pele, do pensamento.

Pode ser uma paixão desenfreada, avassaladoura e cheia de ciúmes.

Pode ser um amor repleto de cumplicidade e amizade.

Têm sentimentos que é tudo isso misturado. E por isso mesmo não sabemos definí-los e temos medo de expressá-los.

Andréia Homem

12:09 01/02/2010