É…!

logoEu não sou a mulher que você quer.

Talvez eu seja por um período, ou as vezes. Mas nada em mim é permanente, a não ser, claro, a minha inconstância.

Gosto da liberdade.

Aquela liberdade de me permitir ser eu mesma em qualquer situação.

Falo muito. Danço muito. Choro muito.

Por incrível que pareça, penso muito.

Meu sorriso é marca registrada, se tornou a minha maior qualidade.

Sempre presente, aqui, ali, lá.

Oro.

Converso com Deus. Converso sozinha.

Sou assim.

Meio louca. Meio racional. Meio intensa. Meio recuada.

Agrado quase todas as pessoas.

Mas mesmo assim não sou a mulher ideal para você.

Sim, eu sei que não sou.

Porque eu não me calo. Não me conformo. Não desisto de conquistar a paz.

É, a paz interior. A paz entre as pessoas. A paz do ambiente.

Até quando sou caótica e desequilibrada, desejo a paz e a estabeleço.

Sou assim mesmo.

Cheia de desejos. Vontades. Sonhos.

Organizo a agitação e a transformo em rotina.

Depois jogo tudo para o alto.

Sabe como é, sou entediada, apaixonada e inconstante por natureza. 

E no Dia dos Namorados…

saudadeHoje, especialmente, hoje, eu queria te encontrar.

Chegaria sem falar nada, te agarraria e beijaria.

Um beijo igual aquele dos Arcos da Lapa, intenso, apaixonado, excitante, cheio de saudades.

É, aquele mesmo, que nós trocamos na frente de milhares de pessoas no sábado de carnaval.

Então eu iria embora, rápido, sem olhar para trás, só para não ouvir você dizer que não!

Só para não perceber a ausência de paixão em seu olhar.

Só para não encarar a realidade que a razão vem impondo sobre mim.

Hoje, especialmente hoje, eu queria ouvir você cantar nos meus ouvidos a música “Olha” do Roberto Carlos.

De novo, igual naquela noite que passamos juntos, com os corpos entrelaçados.

Hoje, especialmente, hoje, eu te queria perto de mim mais uma vez.

Queria aquele abraço forte, que me passa uma segurança inigualável.

Queria aquele seu sorriso e olhar apaixonado.

Queria até assistir suas atrapalhadas, todo enrolado, contando histórias, querendo saber mais sobre mim.

Hoje, especialmente, hoje, eu queria voltar no tempo.

Viver tudo outra vez.

Esquecer que já não pertencemos mais um ao pensamento do outro.

Hoje, especialmente, hoje, eu queria ser afinada e poder cantarolar no telefone para você, que você tem todas as coisas, que um dia eu sonhei para mim. A cabeça cheia de problemas, não me importo, eu gosto mesmo assim.

Hoje, só hoje!

Olha, você vive tão distante, muito além do que eu posso ter…