Na dúvida…

Eu li por aí para não me acostumar com o que não me faz feliz.

Mas, se o que me faz tão feliz nisso, não me faz nada naquilo?

Deveria eu abrir  o jogo? Jogar para o alto, deixar para trás?

Nem tudo é perfeito.

Nem todos acertam em cheio.

Onde está o equilíbrio?

Não seria isso um egoísmo?

Deveria eu buscar a plenitude?

Exigindo o melhor, não me contentando com o quase lá?

Deveria o amor e o sexo andarem de mãos dadas?

A liberdade e o respeito não acabarem separadas?

Deveria eu aceitar a situação, mesmo incompleta?

Ou navegar por aí, sem rumo certo, a espera de encontrar a química correta?

Deveria a paixão estar ligada a amizade?

Deveria existir a paixão para intensificar a qualidade?

E o desejos, os sonhos, aqui tão quietos, guardados em meu peito?

Que de tão vulnerável, hoje, se encontra aberto?

Esperto, maduro, certeiro.

Hoje esse peito que sabe o que é, que testa os limites.

Que não desiste de se completar, de amar, de se doar, a espera de nada, a procura de nada.

Ou talvez tão confuso que não saiba o que valorizar.

Como se equilibrar…

Ou se vale a pena viver com a incerteza de que poderia mais, merecia mais.

Na dúvida se realmente se deixou amar.

Anúncios

Um pensamento sobre “Na dúvida…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s