O pra sempre, sempre acaba

wpid-fb_img_1427053950060.jpg“Ah Dedeco, mas nada é para sempre!” Eu tinha 16 anos, estava sentada na minha cama conversando com o meu príncipe encantado pelo celular. E, eu nunca esqueci essa frase, nem essa cena. O garoto que mais amava, que eu mais confiava, o meu amante e melhor amigo estava ali de uma forma cética e carinhosa me mostrando que a vida tem suas ironias e muda os destinos.

Lembro exatamente dele suspirando, era tão jovem, mas tão racional que queria me proteger do mundo real, ou do mundo encantado que eu idealizara. Queria que eu entendesse que embora nós fôssemos loucos um pelo outro, uma hora iria acabar.

Ele não queria que eu sofresse. Só que desde esse momento eu mudei e sofri por isso. Fazer a relação ser para sempre era um desafio, e eu não estava mas segura se conseguiria vencê-lo.

Até hoje luto contra essas palavras. Muitas vezes fui fria e extremamente racional, radical. Em outras tentei provar para mim mesma que isso não era verdade, e me joguei de cabeça. Nada deu certo. Ou deu pelo tempo necessário para eu aprender algo.

A realidade é que a insegurança e o medo da dor me fizeram e ainda fazem eu sofrer. São dores da alma, cicatrizes enraizadas que não se tem como apagar.

Ele tinha razão. Mas até hoje sou emocional demais para digerir isso bem. Até hoje tento e me entrego, mesmo sabendo que vai acabar. E dói. Dói porque eu já sei o que vai acontecer quando rola o primeiro beijo. Ou a primeira transa.

Algo acontece nas primeiras horas, ou nos primeiros dias, e quando não nas primeiras semanas. Mas algo sempre acontece. E a melhor possibilidade se torna mais uma guerra fria. Mais uma troca de compreensões e superações, e no pior dos casos de mentiras.

Eu sempre sei o que vai acontecer. Porque foi como ele falou, sempre acaba, cedo ou tarde, de maneira amigável ou sendo um trauma.

O pra sempre não existe. Somos todos imperfeitos, inseguros e ambiciosos demais para tornar um momento uma eternidade. Sempre existirão as ex namoradas, ex mulheres, e ex ficantes. Terão também as ex grávidas ou com filhos, as amigas que querem ser mais, os amigos dele que não te apoiam ou te querem, e a possibilidade do futuro (a grama do vizinho é sempre mais verde).

Sempre existirá a incompatibilidade de interesses ou de gostos. Sempre o melhor será o que hoje não é. Por isso eternizam-se os momentos. Dizendo que os vivem intensamente. Besteira. O que é bom, verdadeiro e real, o que é conexão espiritual, não se eterniza em um momento, torna-se eterno na alma, mesmo que acabe. Pois no fundo sabemos diferenciá-lo do superficial.

Pode não ser permanente e nem constante. Porque o pra sempre, sempre acaba. Só que ele acaba, mas ainda existe. Em algum lugar, escondido, vivo, respirando baixinho para ninguém notar sua presença.

Anúncios