A Saída DELA

LoveMarina estava sentada no sofá com seu fiel, guerreiro e temperamental netbook vermelho no colo. Ela olhava para tela, mas não sabia se estava enxergando alguma coisa, sua cabeça voava pelos milhares de pensamentos que surgiam sem sua prévia aprovação.

Sentia-se suspensa no ar, como se estivesse fora do seu corpo, fora da sua vida. Já tinha algumas semanas que não sabia o que era sorrir, sobrevivia sem esperança, apenas respirava, lentamente, sem a menor pressa de voltar a viver, sem a menor pressa de voltar a encarar o mundo.

Aproveitava esse tempo para escrever. Já estava na hora de tirar aquele livro, tantas vezes abandonado, da pasta Projetos do Desktop. Escrever era uma forma de não se sentir sozinha, Nina fazia isso desde pequena.

No decorrer das semanas pós término com Caca, ela foi curando sua dor, sua ansiedade, sua angústia, porém percebeu que de alguma maneira seu coração foi endurecendo a ponto dela não sentir mais nada, nem tristeza nem alegria.

E foi nesse stand-by da emoção, que encontrou inspiração para exorcizar cada dor e cada lágrima nos versos curtos de uma narrativa irônica. Já que nada podia fazer para alterar sua realidade, decidiu escrever um novo final para a história deles dois.

A fumaça do café inebriava o ambiente, fazendo com que ela alternasse sua atenção entre a página pouco escrita do Word e a falsa energia que nutria seu corpo através daquele aconchegante e agitado líquido preto.

Teclava. Parava. Respirava. Bebia seu café. Era nesse ritmo que passava as horas de cada novo dia. Como estava travada no segundo parágrafo decidiu abrir a caixa de entrada do email.

Promoção, Desconto, Roupas Novas, ia apagando uma por uma daquelas mensagens das Lojas Renner, Submarino, Aquamar. Limpar o email te dava um estranho prazer de controle e foi na empolgação desse ato que quase apagou o email de Fred.

Marina mal podia acreditar até abrir aquele email e ter certeza, era Frederico, um namoro de alguns verões no Sul, que não falava há 2 anos. Ela sorriu.

“Guria, como que tu tá? Tenho pensado muito em ti. Consegui concretizar aquele sonho que tu tanto me apoiou, vou lançar o Jornal da Praia na próxima terça. Será que terei a honra de brindar com a mocinha mais linda que já vi nessas terras frias? Venha para o lançamento, tu é parte desta conquista. Ps.: Floripa nunca mais foi a mesma sem ti.”

“Querido Fred, quanto tempo. Estou caminhando e você? Fico muito feliz em saber do Jornal! Me passe o endereço da pousada mais barata, preciso mesmo de umas férias dessa cidade.”

“O endereço da pousada tu já conhece muito bem, é o da minha casa. Me ligue quando aterrissar. Saudades, beijos do Teu Fred.”

Nina sentiu seu coração acelerar era hora de seguir em frente, era hora de se permitir ser feliz. Uma saída estratégica da inércia que algum tempo a acompanhava.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s