É que as vezes..

As vezes me faz falta uma companhia sincera.

Sabe aquela que te escuta com interesse, que te enxerga além da maquiagem, que admira a sua coragem e inteligência?

ilustracao-para-materia-de-comportamento-sobre-ciume-1372459053288_615x300As vezes sinto falta de alguém sentindo saudades minhas e ficando feliz com o meu retorno depois de quatro dias de viagem a trabalho.

Faz falta ter uma pessoa me ouvindo contar que passei três horas, animadamente, conversando com um senhor de 77 anos, muito humilde, e seu filho de 42 – um dos 14, no vôo de volta para casa, onde aprendi sobre atum, camarão rosa e o comércio pesqueiro.

E que mesmo que surja uma pontada de ciúmes por eu conversar com homens estranhos, a pessoa entenda que eu sou assim, falante e simpática, e eu que não faço por maldade, nem com outros interesses, senão uma bela amizade.

confianca-1Muitas vezes sinto falta de uma companhia que me peça para parar com o drama, para pausar e respirar, para acreditar que eu serei capaz e que vou dar conta dos desafios do dia-a-dia.

E, claro, que entenda que já me decepcionei muito, por culpa das expectativas que eu mesma criei em relação aos outros, e que por isso tenho muitas dificuldades para me abrir e confiar de novo.

As vezes sinto falta de uma pessoa que perceba o meu sorriso sincero e espontâneo, e a sutileza com que o meu semblante muda quando sinto ciúmes, ou quando gosto muito e tenho medo de tudo acabar, da noite para o dia, como as coisas costumam  acontecer por aqui.

tumblr_inline_o5gzij5jra1qil06u_540Alguém que tenha paciência para me amar nos dias bons e nos ruins. Durante o estresse, a melancolia e a carência dos meus hormônios. Respeitando o meu silêncio e a necessidade de estar só.

Muitas vezes sinto falta de um ouvido amigo para me ouvir e um braço para me aconchegar.

Um abraço que me proteja do mundo, do meu mundo desabando e me faça ter forças para lutar.

São tantos os momentos que eu gostaria de compartilhar e de cuidar. Sinto falta de curtir o hobby do outro e de tentar entender as suas paixões.

Respeito tanto o tempo quanto as necessidades de se estar sozinho, mas sinto falta de poder estender a minha mão e ajudar.

Sinto falta de torcer pelo outro, seja na realização de um sonho, ou na pelada de domingo contra o bairro vizinho.

tumblr_mbqwegdbgf1riout3o1_500_largeSinto muita falta, mesmo, de aprender com o outro. Aprender a andar de skate, de como colocar uma fórmula em uma planilha do Excel, ou apenas conhecer um comediante novo.

São muitos os momentos que sinto falta. Porque quando se vive sozinha, você tem bastante tempo para refletir no silêncio. Você aprende a curtir a sua própria companhia e a se aceitar como é.

Aprende também a desejar preencher os vazios com uma pessoa que passe a somar na sua vida. Uma pessoa que te ensine a amar o próximo como a ti mesmo, a deixar de ser egoísta e ceder, e principalmente, uma pessoa que te ensine a respeitar.

Respeitar as diferenças, compreendendo que elas sempre se completam.

Respeitar que depois de quase 29 anos, hoje eu sei, exatamente, o que tenho que valorizar.

 

Confie

kardecHoje, ao final de uma bela palestra sobre Hippolyte-Léon-Denizard Rivail, conhecido como Allan Kardec, o codificador da Doutrina Espírita no mundo, passamos ao momento dos passes.

Músicas celtas e francesas tocavam ao fundo. São minutos de silêncio e entrega, onde os médiuns vão se posicionando e revezando para aplicar passe nos visitantes. É quando eu fecho os olhos e converso com Deus. Com Jesus e os amigos de luz.

É comum eu chorar durante essa troca. E hoje não foi diferente, lágrimas escorriam dos meus olhos, enquanto eu harmonizava com o ambiente e sintonizava com o outro plano. Tudo isso guiada por uma trilha sonora que pacifica mente e coração.

Minhas lágrimas, ora calmas, ora mais intensas, não eram por tristeza ou dor, mas sim pela gratidão da proteção e das lições que o plano espiritual me proporciona – todos os dias.

Chorei porque pedi força para encontrar a minha voz, o ponto que precisa sair de dentro de mim.

Chorei de alívio, porque a minha solidão material é prova. É o silêncio que eu preciso para me encontrar. Do contrário, minha voz se calaria por medo de se expressar.

Eu nunca estou sozinha. Eles sempre estão comigo, segurando a minha mão, iluminando a minha mente e o meu caminho.

As lágrimas, teimosas, escorriam face abaixo. A comunhão com a energia divina faz isso, lava tudo. Alivia. Cura. Renova.

Quando eu estava preparada para abrir os olhos e romper o diálogo silencioso, senti duas mãos segurarem nas minhas. Eram as mãos da médium, que eu nem sabia que estava diante de mim.

Aquele toque. Aquele carinho e troca de energia me acolheu a alma, aquietou as minhas angústias e questionamentos. Sua palavra está ecoando em mim até agora. Ela disse “CONFIE”.

Eu sorri e entendi o recado à minha prece. E mais uma vez agradeci. Porque como disse antes, embora eu esteja sozinha no plano material, minha solidão tem excelentes companhias espirituais. Minha solidão me ensina a valorizar cada companhia de luz, que encarnada, se aproxima de mim.

Tudo tem o seu tempo e a sua maneira de acontecer. Eu só preciso respeitar, compreender e, principalmente, CONFIAR. E que assim sempre seja!

dwkfdc4mapm