Sobre livros e filmes…

asseteirmascapaFisgada pela Riley

Não costumo gostar desse tipo de leitura (mitologias e sagas), mas As Sete Irmãs me prenderam quando li os quatro primeiros capítulos através de um blog de divulgação (Infelizmente não lembro qual é, caso contrário creditaria).
No impulso fui na mesma hora ao site Submarino e comprei. Comecei a ler e dei uma abandonada. Quando peguei de volta.. em dois dias li as 450 páginas restantes.
Quem me conhece sabe que não sou muito fã do Rio de Janeiro, embora seja carioca. Mas adoro um Romance, ainda mais de época.
Logo, essa “ficção ambientada em um cenário histórico” – Construção do Cristo Redentor, Barões do Café e Crise de 29, me fisgou.
Chorei emocionada. Fiquei horrorizada. Me vi ansiosa para desvendar os mistérios junto da Protagonista Maia.
É uma mistura de suspense, romance, mitologia das Sete Irmãs das Plêiades, com um embasamento histórico incrível. Me deu até saudades das aulas de Literatura Brasileira.
Bel e Maia me fizeram refletir a vida, encarar certos medos e verdades, me entreteram demais e claro.. me deixaram curiosa sobre o que está por vir na história de cada uma das irmãs adotadas. (tem mais volumes por aí).
Enfim, se essa resenha te interessou, LEIA!
Amei *.*

116301673SZAnd time goes by…
Ah o tempo e sua incrível maneira de nos ensinar, através do arrependimento, o quanto desperdiçamos o essencial para nos dedicar ao efêmero e superficial.
Cecelia, é Cecelia. E o amor pelo livro nasceu na capa dele. Que capa! Aqueles que conseguiram a edição com a caixinha, do Natal passado (2013), entende o que estou falando!
É um livro bom. Li em menos de 24 horas. A lição é batida, mas de alguma forma, cada vez mais atual.
Diria que esse é o típico livro para se ler sentado em frente a lareira (quem é do RJ não compreende essa experiência), comendo biscoitos recheados com um copo de leite ao lado. Também há a versão deitada tomando um chá e sentindo o cheiro do peru natalino assando.
Leitura para ser feita no Natal. Tenho certeza que a magia de Dezembro daria outro contexto para o livro.
Porém, mesmo assim, indico de olhos fechados. Não é um Ps. Eu te amo e nem o A Vez da Minha vida, mas é bom, de leitura fácil e rápida, que te faz refletir e muito sobre como andam as prioridades e o que acaba valendo no final do dia.

203289_1GGA Casa (dos espíritos?)
Para uma obra nacional, gostei. Mas não me apaixonei.
É um livro curto, teoricamente de fácil leitura, mas achei o texto muito repetitivo, a ponto de me angustiar.
A história é legal e as lições também são.
É criativo e explorou o universo do espiritismo, só que de uma forma ficcional.
Me emocionei, o que fez o livro ganhar pontos positivos.
No geral eu indico, embora acredite que tenha sido uma obra de início de carreira, meio imatura, já que conheço pessoas importantes que indicam esse autor de olhos fechados e não achei A Casa digna da fama do André Vianco.
Vou ler algum livro mais recente dele para então formar minha opinião! Alguém indica algum?

Uma-Longa-JornadaUma longa, leitura
Paixão a primeira vista pela capa, foi exatamente isso que me vez querer o livro sem nem ler a sinopse. Tudo bem que ver que o Nicholas Sparks era o autor me deu a confiança necessária para colocá-lo na meta de leitura.

O livro começa devagar, embora não tenha tantas páginas assim, só 361 (quem lê Marian Keyes vai concordar), a leitura é um pouco cansativa e eu não sei dizer o porquê.

São duas histórias paralelas, com dois protagonistas, Ira e Luke, apaixonantes, cada um a sua maneira, um bem velhinho e o outro jovem.

Ira é um senhorzinho, que ao sofrer um acidente de carro sozinho passa o período de espera por socorro nos contando toda a história de amor vivida com Ruth, sua falecida esposa.

Já Luke é o típico cowboy, príncipe encantado. Ele e Sophia se conhecem no início do livro e vão desenrolando sua história ao longo dos capítulos.

A leitura é gostosa, as duas histórias também, li o livro visualizando um filme na minha cabeça, adoraria ser a Sophia, mas é uma leitura demorada, levei mais de um mês para concluir.

Uma amiga já tinha me alertado sobre isso, que não estava conseguindo prosseguir com a leitura dele, pois não estava empolgando.

Talvez por eu adorar a idéia de uma vida no interior, tenha me motivado mais a ir até o final.

Confesso que em alguns momentos me arrepiei, em outros emocionei. Acredito que, para quem é fã do Nicholas, vale a leitura, só não pode esperar um Bestseller, porque daí acho que vai se decepcionar. Aliás, acredito que este é um típico livro para ser adaptado ao cinema.

Agora vamos combinar, com essa capa, vale até ter o livro parado na estante, só para ficar apreciando e deixando os pensamentos fluírem.

 

Uma Proposta IrrecusávelEntretém!
O livro, apesar de ter 408 páginas, é de leitura rápida. Parece um filme de comédia romântica, desses que vai direto para a HBO.

Gostei bastante, embora ele passe muito rápido por pontos que podiam ser melhor explorados, como a personalidade da personagem princial, Lola.

Afinal, é o caráter dela que está em questionamento durante todo o livro. Senti falta de uma contextualização maior nas histórias.

Mas se a sua proposta é uma leitura gostosa, as vezes divertida, e que te entretém a ponto de você ler em pouco mais de 24h (levando em consideração o trabalho, preparar a comida, o carro enguiçar na rua, dormir por 8h). Então essa é uma aposta segura!

Não conhecia a autora, mas vou prestar mais atenção nas obras dela. Gostei de verdade do livro e da história como um todo.

Ah, e não espere lições, como na maioria dos livros que indico. Espere aquela história boa de se assistir em filmes e gostosa de se ler em livros para mulheres! Aquelas que no final você dá uma longa suspirada e fica com coragem para procurar o carinha que tanto monopoliza os seus pensamentos. Boa leitura 😉

A-vez-da-minha-vida-nacionalSurpreendeu!
Cecelia Ahern me conquistou facilmente com o livro Ps.: Eu Te Amo, que, por sinal, entrou na minha vida por acaso (comprado de presente de Natal para minha mãe) e foi devorado em poucos dias (antes mesmo dela ler).

Desde então tenho a autora como referência. Duas das minhas escritoras preferidas são Irlandesas, o que significa que eu adoro a ironia impressa nos acontecimentos dramáticos do dia a dia (gosto de rir das minhas próprias confusões e desgraças, sem deixar de refletir e aprender algo com elas).

Esse livro devolveu a Cecelia para o topo (minha opinião). Não gostei muito do Aqui é o Melhor Lugar, achei fantasioso demais e confesso que fiquei preocupada do A Vez da Minha Vida seguir o mesmo caminho.

Mas não, ele me surpreendeu! Ao contrário de todo livro que amo, esse não me fez derramar uma lágrima, o oposto do Ps: Eu te Amo, que chorei praticamente em cada página lida.

A Vez da Minha Vida é fantástico. Uma lição do início ao fim. Uma sacudida em como estamos encarando os acontecimentos da nossa vida. Uma comédia romântica ácida, meio dramática, cheia de boas mensagens que nos fazem refletir. Cheia de boas tiradas que me fizeram ri alto, onde quer que eu estivesse.

Um livro delicioso de ler que, mesmo com quase 400 páginas, li rápido. Capítulos curtos que geravam curiosidade para ler o próximo. Li no trabalho, no ônibus, deitada na cama, tomando café da manhã, almoçando.

Indico de olhos fechados! Amei.

O MARIDO PERFEITO MORA… JURA?

A princípio comprei o livro e me interessei pela leitura, pois tinha excelentes referências a respeito do autor, além, claro, do título ser bastante convidativo: O Marido Perfeito Mora ao Lado.

Já no primeiro momento morro de rir, fico abismada com a criatividade e a riqueza de detalhes na descrição das cenas, cujas, tenho a sensação de tê-las assistido ao vivo.

Em um segundo momento uma bela ficção-realidade da elite jovem e universitária do Rio de Janeiro. A partir daí começa o suspense, intercalado com os monólogos de Olga (única participante de uma terapia de casal, nem o marido e nem a doutora têm o poder da palavra).

O livro apresenta conceitos importantes da psicologia, têm ótimos diálogos, uma linguagem clara e objetiva e uma queda para a tragédia cômica. Sem mencionar que consegue explorar de forma bem sensual e real, mas não de forma agressiva, a vida sexual dos personagens.

Felipe Pena com certeza atingiu seu objetivo. É impossível largar o livro. Cada capítulo te prende ao próximo. A curiosidade aumenta a cada parágrafo. Certamente uma grande opção de prazer através da leitura.

A única coisa que me intriga é como o livro é tão atual, mesmo sendo um trabalho de quatro anos. Tenho a sensação que ele foi escrito ontem. O autor realmente fez uma pesquisa de campo através de seus anos como aluno de psicologia e acredito que sua experiência de vida é parte fundamental da narrativa, mesmo sendo uma ficção.

Enfim, o livro tem um final surpreendente. O autor conseguiu durante a minha passagem por cada verso do livro conquistar gargalhadas, dúvidas, reflexões, angústias, curiosidade e até umas lágrimas emocionadas no penúltimo capítulo.

“A você que chegou até esta última linha, minha perene reverência.” (Felipe Pena em Notas e Agradecimentos). 

A você que escreveu esta obra, minha gratidão. Foi uma leitura muito prazerosa e com grandes ensinamentos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s