Às linhas tortas de Deus, apenas a minha GRATIDÃO!

gratidaoE na mesma semana que uma pessoa do meu convívio, com o intuito de me agredir e magoar, me chamou de monstro, interesseira e ruim.

Uma pessoa que não me conhecia, sentada ao meu lado durante uma palestra, me perguntou se poderia me abraçar, porque o meu sorriso era lindo, que eu era uma pessoa linda, principalmente, por dentro. Ela podia ver e sentir.

Na mesma semana que uma pessoa que já sonhou um futuro comigo, devido a constante necessidade de me afastar para não comprometer outros interesses, me chamou de louca e foi extremamente grosseria, pois o mencionei em um vídeo que derruba o machismo, defendendo o sexo no primeiro encontro.

Uma outra pessoa que me conhece há mais tempo, que representa o amor e o perdão para mim, mas que não convive mais no meu dia-a-dia, confessou que quando pensa em formar uma família, sou eu quem vem em seu pensamento. Na verdade, essa é a única pessoa que eu queria que pensasse assim.

Na mesma semana que uma chefa me pune, me tirando a oportunidade de trabalhar sendo reconhecida financeiramente, mas me jogando no trabalho braçal e de graça – do qual eu recusei, outra me abraça e me diz que ao fazer o meu trabalho de pré-produção eu fui perfeita.

Na mesma semana que eu descobri que poderia chegar no trabalho em 10 minutos, indo de carro, fui forçada a ver a beleza das caminhadas. A importância de ir a pé, as diversas coisas que eu perdia por não ir com calma, olhando tudo ao meu redor, sentada em um ônibus.

Na mesma semana que me senti a pessoa mais sozinha do mundo, foi quando descobri o apoio mais significativo da minha existência. Um apoio que me segurou nos braços, secou minhas lágrimas e depois me impulsionou: “vai, você consegue, estou aqui sempre que precisar voltar.”

Na mesma semana que eu convivi com o ódio, e o virar de costas de uma pessoa que amo, recebi dois abraços sinceros de uma criança, na fila do pão, no mercado.

bonecoEm uma semana a vida foi vida. Acontecendo, colocando circunstâncias de acordo com as minhas necessidades, conforme aprendi em edificante palestra com Ricardo Wardil.

Me tirava aqui, me dava ali. Me derrubava aqui, me engrandecia ali.

Uma semana que me fez doente de tanto chorar. E que me fez sentir uma gratidão imensa, uma alegria que pelo visto, transbordei hoje no olhar.

Poderia ter sido mais uma semana. Daquelas que passamos sem sentir, vivendo sem estar ali, vivo. Mas foi uma semana de intensa aprendizagem.

Uma semana de lições que não consigo colocar um preço, de tão valiosas que foram.

Uma semana onde a dor do crescimento pessoal se fez firme, austera.

Uma semana onde fui contemplada com as mais belas, simples e importantes alegrias de viver.

Tudo o que me aconteceu foi presente de Deus.

Que semana especial, que me fez perceber que tudo o que aconteceu fantasiado de ruim, na verdade era bom, muito bom para mim.

Porque foi Deus me deixando cair da bicicleta sem rodinhas, para logo depois me oferecer a mão e me tirar do chão.

Um Deus que limpou a areia dos meus joelhos e me ajudou a subir de novo na bicicleta, agora mais experiente e preparada. Agora sem a euforia, com mais zelo e concentração.

Ciente do que quero e do que, definitivamente, eu sei que não preciso.

Obrigada pessoas que cruzaram o meu caminho nesta semana. Obrigada Senhor por colocá-las lá, fazendo e falando exatamente o que necessitava para o meu crescimento humano.

Às linhas tortas de Deus, apenas a minha GRATIDÃO! Porque torto é o meu olhar, e não a Sua intenção. Obrigada.

gratidao-788x493

Anúncios

Confie

kardecHoje, ao final de uma bela palestra sobre Hippolyte-Léon-Denizard Rivail, conhecido como Allan Kardec, o codificador da Doutrina Espírita no mundo, passamos ao momento dos passes.

Músicas celtas e francesas tocavam ao fundo. São minutos de silêncio e entrega, onde os médiuns vão se posicionando e revezando para aplicar passe nos visitantes. É quando eu fecho os olhos e converso com Deus. Com Jesus e os amigos de luz.

É comum eu chorar durante essa troca. E hoje não foi diferente, lágrimas escorriam dos meus olhos, enquanto eu harmonizava com o ambiente e sintonizava com o outro plano. Tudo isso guiada por uma trilha sonora que pacifica mente e coração.

Minhas lágrimas, ora calmas, ora mais intensas, não eram por tristeza ou dor, mas sim pela gratidão da proteção e das lições que o plano espiritual me proporciona – todos os dias.

Chorei porque pedi força para encontrar a minha voz, o ponto que precisa sair de dentro de mim.

Chorei de alívio, porque a minha solidão material é prova. É o silêncio que eu preciso para me encontrar. Do contrário, minha voz se calaria por medo de se expressar.

Eu nunca estou sozinha. Eles sempre estão comigo, segurando a minha mão, iluminando a minha mente e o meu caminho.

As lágrimas, teimosas, escorriam face abaixo. A comunhão com a energia divina faz isso, lava tudo. Alivia. Cura. Renova.

Quando eu estava preparada para abrir os olhos e romper o diálogo silencioso, senti duas mãos segurarem nas minhas. Eram as mãos da médium, que eu nem sabia que estava diante de mim.

Aquele toque. Aquele carinho e troca de energia me acolheu a alma, aquietou as minhas angústias e questionamentos. Sua palavra está ecoando em mim até agora. Ela disse “CONFIE”.

Eu sorri e entendi o recado à minha prece. E mais uma vez agradeci. Porque como disse antes, embora eu esteja sozinha no plano material, minha solidão tem excelentes companhias espirituais. Minha solidão me ensina a valorizar cada companhia de luz, que encarnada, se aproxima de mim.

Tudo tem o seu tempo e a sua maneira de acontecer. Eu só preciso respeitar, compreender e, principalmente, CONFIAR. E que assim sempre seja!

dwkfdc4mapm